Cegueira Causada Pelo Glaucoma é Irreversível, Previna-se!

Cegueira causada pelo glaucoma é irreversível, previna-se!

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Oftalmologia estima-se que, no Brasil, 985 mil pessoas sejam portadoras de glaucoma.

“O glaucoma é uma doença que tem poucos sintomas. Uma vez não diagnosticado, e não tratado, ele conduz a uma perda visual inicialmente periférica. Continuando a evolução da doença e não havendo um tratamento efetivo, o final é mesmo a perda visual total, a cegueira. O glaucoma é segunda principal causa de cegueira irreversível no mundo”, alerta o oftalmologista do Austa, José Renato Duarte.

A doença é responsável por 12,3% dos casos de perda de visão em adultos. A prevalência aumenta com a idade.

Estima-se que atinja entre 1% e 2% na população geral, chegando a 6% e 7% após os 70 anos.

Existem alguns grupos onde o glaucoma é mais comum.

“Eu destaco a hereditariedade, a história de família. O glaucoma é mais comum quando você tem um parente de primeiro grau, pai, mãe ou irmão, com a doença. Ele se torna 10 vezes mais frequente nesse grupo. Negros também tem uma importância grande, o glaucoma é mais agressivo no negro. E também mais frequente nos hipertensos e nos míopes”, explica José Renato.  

Prevenção do Glaucoma

A melhor forma de prevenir o glaucoma é mantendo uma rotina de consultas oftalmológicas.

A Sociedade Brasileira de Oftalmologia recomenda consultas anuais a todos que já têm 40 anos ou mais.

Quem tem histórico familiar deve fazer consultas menos espaçadas.

“Na consulta, de um modo simples e indolor, podemos medir a pressão intraocular, que é o principal fator de risco para o desenvolvimento do glaucoma. E analisar o fundo de olho, que é onde tudo acontece. A consulta de rotina e a disseminação de informações, através de campanhas, são as melhores formas de se prevenir o dano visual por glaucoma”, aconselha o oftalmologista do Austa.   

Tratamento

O tratamento vai do mais simples ao mais complexo.

O padrão envolve o uso de colírios, que baixam a pressão do olho.

“Não havendo efetividade, existem alternativas, que são bem realizadas. Seriam elas: o tratamento a laser (trabeculoplastia), o SLT. Não havendo indicação ou sucesso, tem a cirurgia convencional (trabeculectomia). E nos casos onde a doença não respondeu bem as terapêuticas anteriores, tem o implante de válvulas (Ahmed). Todos os tratamentos tem por objetivo a redução da pressão intraocular, para evitar o dano ao nervo óptico”, finaliza José Renato Duarte. 

Fonte – Portal da Sociedade Brasileira de Glaucoma 

Glaucoma - Sintomas, Diagnósticos e Tratamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.