CARREGANDO

Digite uma Pesquisa

Pneumonia é a terceira doença que mais mata no Brasil

A pneumonia é a terceira doença que mais mata no Brasil, atrás apenas do infarto agudo do miocárdio e do AVC, sendo que a maior parte das vítimas tem mais de 65 anos, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

E, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), é a principal causa de morte em crianças de até 5 anos de idade. Fica claro, então, o quanto é importante lembrar o Dia Mundial da Pneumonia (12 de novembro), em particular, para os brasileiros.

Crianças e idosos são as principais vítimas desta infecção nos pulmões provocada por bactérias, vírus ou fungos. “É importante que as pessoas saibam que a pneumonia pode ser evitada ou ao menos, quando a pessoa adoecer, pode ter os danos minimizados”, destaca a médica pneumologia Andrea Monteiro, do AUSTA hospital.

Grupos de risco

Além de crianças e idosos, gestantes, asmáticos, tabagistas, portadores de doenças crônicas e pessoas em situação de imunossupressão e com doenças que levam ao comprometimento do sistema imunológico, como o câncer, AIDS e o diabetes, compõem os principais grupos de risco e, portanto, mais expostos de ter pneumonia.

Prevenção

Uma das ações importantes é tomar a vacina anti-pneumocócica, que previne os tipos desta doença causados pelas bactérias pneumocócicas e Streptococcus pneumoniae, responsáveis por 60% dos casos. “Em caso de infecção, a imunização diminui a intensidade dos sintomas, além de evitar as formas graves da doença e a mortalidade para esse tipo específico de pneumonia. A vacina deve ser prescrita pelo médico”, afirma Dra. Andrea, que também chama a atenção para a existência das pneumonias causadas por fungos, vírus e substâncias tóxicas. 

Além da vacina, há várias atitudes e iniciativas que colaboram para evitar a pneumonia, como parar de fumar e de consumir bebidas alcoólicas, manter o ar-condicionado limpo e não se expor a variações bruscas de temperatura. “O fumo provoca uma reação inflamatória, nas vias aéreas, que facilita a penetração de agentes infecciosos nos pulmões e o álcool interfere no sistema imunológico, comprometendo a capacidade de defesa do aparelho respiratório”, explica a médica pneumologista.

Sintomas da pneumonia

Segundo a pneumologista do AUSTA hospital, os principais sintomas da pneumonia são febre alta, tosse e dor no peito. “A pessoa doente também secreta, através da tosse, um muco purulento de cor amarelada ou esverdeada e sente dor no peito, que piora com a respiração. Em casos graves, os lábios e unhas podem ficar roxos por falta de oxigênio no sangue, há alterações da pressão arterial, mal estar generalizado e pode ocorrer confusão mental”, descreve Dra. Andrea.

Atentar-se para estes sintomas para procurar logo o médico especialista é muito importante. “Se a pneumonia é diagnosticada e tratada de forma adequada, dificilmente o quadro clínico do paciente se agrava”, diz a pneumologista.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico da pneumonia pelo médico especialista envolve a elaboração do histórico clínico do paciente, exames físicos e complementares como, por exemplo, radiografia de tórax. Confirmada a doença, o tratamento normalmente inclui o uso de antibióticos, antivirais ou antifúngicos dependendo do micro-organismo causador da infecção, repouso e ingestão de líquidos.

Tags:

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Skip to content