CARREGANDO

Digite uma Pesquisa

FUTURAR Vivência AUSTA

Compartilhar

O Grupo AUSTA iniciou, nesta segunda-feira, 7 de janeiro, um programa inédito em seus 38 anos de existência, em consonância com um de seus pilares: a educação. Trata-se do “FUTURAR Vivência AUSTA”, programa desenvolvido, inicialmente, para os filhos de seus sócios cotistas que estejam no 3º, 4º e 5º anos do curso de Medicina.

Durante duas semanas, os futuros médicos terão oportunidade de convivência em algumas unidades médicas hospitalares, essenciais para sua formação, como complemento da atividade acadêmica. Além disso, conhecerão melhor o funcionamento e a dinâmica do AUSTA hospital e da operadora de saúde AUSTAclínicas. Através da observação nos setores Centro Cirúrgico, Emergência, UTI e USI AUSTA, trocarão conhecimentos com profissionais experientes do Grupo.

Como centro de referência na área da Saúde do Noroeste Paulista, o AUSTA entende ser uma de suas missões compartilhar conhecimento com a sociedade. Uma das formas de exercitar esta missão é promover iniciativas e eventos de educação continuadas voltadas a médicos e estudantes de Medicina”, afirma Dr. Mario Jabur Filho, diretor-presidente do Grupo.

Dr. Jabur recepcionou os alunos e seus pais na cerimônia de início do Programa, que contou com a presença também de outros diretores do Grupo e lideranças do AUSTA hospital e da AUSTAclínicas.

A parte teórica do “FUTURAR Vivência AUSTA” envolverá gestão em saúde, governança clínica, ética médica, marketing médico, a relação médico-paciente e aspectos jurídicos da profissão do médico.

Além da oportunidade de vivenciar o ambiente hospitalar, os alunos elogiaram o conteúdo teórico do programa, que complementa o conhecimento adquirido no curso de medicina. “Governança clínica e a visão do mercado de trabalho do médico, por exemplo, são temas não abordados na faculdade que veremos neste Programa”, disse Pedro Franzotti, aluno do 4º ano do curso de medicina da Uninove e filho do cardiologista intervencionista Luiz Antonio Gubolino, diretor do AUSTA e um dos idealizadores do projeto.

A química Sandra Gubolino, fez questão de estar com o filho Pedro na cerimônia de abertura para saber ainda mais sobre o programa. Gerente de qualidade e desenvolvimento em uma indústria, Sandra constatou que, além da vivência médica, o programa terá outra importante lição para os alunos: o espírito empreendedor, fundamental a qualquer profissional. “O AUSTA tem em seu DNA este espírito, presente naquele grupo de médicos que decidiu construir um hospital e hoje resulta neste grande Grupo”, afirmou Sandra.

Além do valioso aprendizado, o “FUTURAR” oferece aos futuros médicos a oportunidade de conhecer o AUSTA hospital. “Sempre desejei isso, e agora posso viver a experiência do dia a dia do hospital”, declarou Camila Prates, estudante do 3º ano do curso da Faceres e filha do ortopedista Carlos Augusto Prates.

Com ela, seu irmão, Carlos Prates, aluno do 5º ano da Fameca (Faculdade de Medicina de Catanduva), integra esta primeira turma do “Futurar”. Ele se confessou ansioso para iniciar logo o programa. “Ano passado, acompanhei uma cirurgia feita por meu pai, o que foi uma experiência muito rica. Por isso, tenho certeza de que estas duas semanas serão muito importantes para a minha formação como médico”, disse Carlos.

Certeza compartilhada pelo ortopedista Carlos Prates e que o fez inscrever os dois filhos logo que foi comunicado sobre o programa. “É uma iniciativa sensacional do Grupo. Temos a preocupação de encaminhar profissionalmente nossos filhos da melhor forma possível, dando-lhes todas as informações necessárias. O ‘Futurar’ vai ajudar muito”, afirmou o ortopedista.

Sem dúvida, é o que inspira o “FUTURAR Vivência AUSTA”.

Próximo Artigo

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *