CARREGANDO

Digite uma Pesquisa

Doação de órgãos – Dr. João Fernando Picollo

Compartilhar

Neste 27 de setembro, o Grupo AUSTA integra a grande corrente no Brasil para celebrar a vida, pois é quando se comemora o Dia Nacional da Doação de Órgãos.

A data é muito importante para conscientizar a população sobre a importância de ser um doador de órgãos e tecido e poder ajudar milhares de pessoas que lutam para viver.

No Brasil, há mais de 32.000 pessoas cadastradas na lista de espera para receber um órgão, segundo a ABTO (Associação Brasileira de Transplante de Órgãos e Tecidos).

A maioria, quase 22.000, aguarda pela doação de um rim. À espera de uma córnea, na verdade, um tecido do corpo humano, são mais de 8.500 brasileiros.

Dia Nacional da Doação de Órgãos ampliou-se para Mês

No Estado de São Paulo, a Lei nº 15.463, de 18 de junho de 2014, instituiu o Mês da Doação de Órgãos, denominado Setembro Verde.

Você pode ser doador, mas manifeste este desejo à família

Qualquer pessoa pode ser doadora, mas a retirada dos órgãos e tecidos após o diagnóstico de morte encefálica (cerebral) e a autorização da família, como determina a lei nº 10.211, de 23 de março de 2001.

Pessoas vivas também podem ser doadoras de órgãos, mas apenas dos que não prejudicam as aptidões vitais do doador, como um dos rins, parte do fígado, da medula óssea ou parte do pulmão. Nestes casos, de acordo com a legislação, parentes até o quarto grau podem ser doadores. Não parentes, somente com autorização judicial.

Os órgãos e tecidos que podem ser doados são córneas, coração, fígado, medula óssea, ossos, pâncreas, pulmões e rins.

Saiba mais:

Como fazer para ser doador?

Basta informar a sua família o desejo de ser doador porque, em caso de morte, só com a autorização dos familiares, os órgãos e tecidos serão retirados para doação. A legislação atual determina que é a família que decide.

Depois da autorização da doação, o que ocorre?

Desde que haja receptores compatíveis, a retirada dos órgãos é realizada em centro cirúrgico por médicos e profissionais especializados, respeitando todos os rigores do procedimento.

Quem recebe os órgãos doados?

Os órgãos doados serão distribuídos pela Central de Transplantes através de um cadastro técnico único, ou seja, receberá os órgãos quem estiver há mais tempo na lista de espera e tiver maior compatibilidade com o doador, salvo em situações de emergência.

Pode-se escolher o receptor?

Nem o doador nem a família pode escolher o receptor. Este é indicado pela Central de Transplante, conforme o resultado da lista de espera.

Fonte: Associação Brasileira de Transplante de Órgãos e Tecidos (ABTO) e Associação Brasileira de Doação de Órgãos e Tecidos (Adote)

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *