Psoríase Causa Lesões Em Várias Partes Do Corpo, Mas Não é Contagiosa

Psoríase causa lesões em várias partes do corpo, mas não é contagiosa

Segundo estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, 1,3% da população brasileira é atingida pela psoríase.

Entre 20 a 30% dos pacientes apresentam formas moderadas a graves da psoríase, que necessitam de terapia sistêmica.

A psoríase é uma doença de pele inflamatória, comum e não contagiosa, que provoca o aparecimento de lesões de aspecto variado, distribuídas por várias partes do corpo. Embora sua causa seja desconhecida, está relacionada à transmissão genética (30% dos pacientes têm histórico familiar) e requer fatores desencadeantes para aparecer ou piorar.

A doença pode ocorrer em qualquer idade, sendo mais comum entre os 20 e 40 anos.

A psoríase é cíclica e seus sintomas desaparecem e reaparecem periodicamente.

Entre os sintomas mais comuns estão:

  • manchas vermelhas com escamas secas esbranquiçadas ou prateadas;
  • pequenas manchas brancas ou escuras residuais pós lesões;
  • pele ressecada e rachada, às vezes com sangramento;
  • coceira, queimação e dor;
  • unhas grossas,  sulcadas, descoladas e com depressões puntiformes;
  • inchaço e rigidez nas articulações.

Tipos de Psoríase

Em placas ou vulgar: forma placas secas, avermelhadas com escamas prateadas ou esbranquiçadas. Quando grave, a pele em torno das articulações pode rachar e sangrar.

Ungueal: afeta as unhas das mãos e dos pés que podem chegar a descolar do leito ungueal.

Do couro cabeludo: surgem áreas avermelhadas com escamas espessas, principalmente após coçar. Assemelha-se à caspa.

Gutata: geralmente é desencadeada por infecções bacterianas. Apresenta pequenas feridas em forma de gota no tronco, braços, pernas e couro cabeludo.

Invertida: atinge principalmente áreas úmidas como axilas, virilhas, embaixo dos seios e ao redor dos genitais.

Pustulosa: podem ocorrer manchas, bolhas ou pústulas (bolha que parece conter pus) em todas as partes do corpo. Pode causar febre, calafrios, coceira intensa e fadiga.

Eritodérmica: acomete todo o corpo com manchas vermelhas que podem coçar ou arder intensamente.

Artropática: além da inflamação na pele e da descamação, causa fortes dores nas articulações.

Tratamento

O tratamento da psoríase será indicado conforme a manifestação e a gravidade de cada caso.

A maioria dos pacientes é tratada com medicações tópicas de uso local. Casos mais graves podem receber medicação oral ou injetável.

A exposição moderada ao sol e a hidratação constante da pele favorecem o sucesso da terapia.

Como a psoríase está associada a fatores emocionais é importante que os pacientes evitem o estresse.

Pessoas que possuem histórico familiar da doença devem ter atenção redobrada a possíveis sintomas, e consultar um dermatologista.

Fontes – Sites: Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica; Sociedade Brasileira de Dermatologia; e Psoríase Brasil.

Clique aqui para ver outras notícias sobre prevenção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *