População Tem Que Se Prevenir Contra Surto De Febre Amarela

População tem que se prevenir contra surto de febre amarela

O registro de mortes por febre amarela, de humanos e macacos, deixou a população em alerta.

Na área rural o contágio é feito especialmente pela picada do Haemagogus, que se alimenta do sangue de humanos e animais.

Na área urbana a transmissão se dá por um mosquito bastante conhecido pela população, o Aedes aegypti.

De acordo com o Ministério da Saúde trata-se do maior surto da doença desde 1980, quando se iniciou a disponibilização de dados.

Os principais sintomas são início súbito de febre, dores nas costas e cabeça, náuseas, vômitos, fadiga e calafrios.

Já no quadro mais grave ela atinge órgãos como o fígado e rins, com febre alta, icterícia, urina escura, dores abdominais, sangramentos na boca, nariz, olhos ou estômago, podendo levar a convulsões, coma, morte.

Por isso, diante da suspeita da doença, procure o atendimento médico o quanto antes.

Tratamento para a febre amarela

Não existe um medicamento que seja especifico para os casos de febre amarela. O que se trata são os sintomas causados pela doença.

Quem apresentar diagnóstico da doença deve fazer repouso e manter-se hidratado, especialmente se tiver quadro de vômitos.

Prevenção

A única forma de evitar a doença é por meio da vacinação. A vacina da febre amarela faz parte do ciclo de vacinas do calendário infantil, sendo a primeira dose aplicada aos nove meses de idade.

Adultos que não foram vacinados nos últimos 10 anos também devem procurar os postos de saúde.

 A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) não recomenda a vacina para pessoas com doenças que baixam a imunidade (lúpus, câncer e HIV, etc), nem para menores de seis meses, maiores de 60 anos, grávidas e alérgicos a gelatina e ovo.

Se você está entre esse público, siga a orientação do seu médico.

Na área urbana, como medida preventiva, vale investir no combate ao mosquito Aedes aegypti.

Você já sabe como fazer isso, mas vale a pena relembrar algumas normas: não deixe água parada; elimine recipientes que possam acumular água; limpe as calhas; lave com bucha a vasilha de água do seu animal de estimação; mantenha a caixa d’água bem fechada; coloque areia vasos com plantas e elimine os pratinhos.

Clique aqui e baixe nosso e-Book com informações, cuidados e prevenção contra o aedes aegypti.

Consulte sempre um médico e siga suas orientações. 

Fontes – Portal da Saúde (Ministério da Saúde) e Portal Brasil (link – Saúde)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *