Menopausa é Fase Marcante Na Vida Da Mulher E Requer Cuidados Específicos

Menopausa é fase marcante na vida da mulher e requer cuidados específicos

A menopausa, por definição, nada mais é do que uma data. A partir do momento que a mulher teve uma menstruação e ficou um ano sem menstruar, é considerada que está na menopausa. Paralelamente, é preciso excluir outras patologias, de acordo com a idade da paciente, os sintomas.

“Temos outras formas de diagnóstico da menopausa através da dosagem hormonal, o mais utilizado é o hormônio FSH, que também nos dá um direcionamento para controle de menopausa. São inúmeras as mudanças que as mulheres têm durante essa fase. Começa com a síndrome climatérica que é a partir dos 40 anos, que vai ficar de forma mais importante no período pós-menopausa. Tem a irregularidade menstrual, e quando a paciente entra na menopausa esse sintoma realmente vai acabar, porque ela não vai mais menstruar. Mas em contrapartida a começam os sintomas vasomotores, que é a famosa onde de calor, bastante clássica na paciente pós-menopausa. Tem os sintomas urogenitais, entre eles o mais habitual é um ressecamento vaginal importante. Sintomas como as distopias genitais que é quando a paciente tem o prolápso do órgão, a incontinência urinária também pode estar associada. Sintomas da parte de ossos, onde a incidência da osteopenia e da osteoporose aumenta de forma importante. Distúrbio do humor, que é muito característico, como ansiedade, depressão, estresse. Distúrbio do sono, com a insônia. Alterações cardiovasculares, com uma propensão maior de hipertensão, alteração de colesterol, triglicérides”, pontua o ginecologista do Austa Dr. Leandro Colturado. 

Câncer de Mama

“O câncer de mama tem sua incidência maior no período de perimenopausa, que é aquele período que vem um pouquinho antes da menopausa, e acompanha os anos iniciais da menopausa. Temos como controle a mamografia até os 75 anos, como parâmetro. Mas o período de maior incidência é o vai da perimenopausa até os 60, 65 anos da paciente”, alerta o médico. 

Cuidados

Segundo o Dr. Leandro “quando a paciente entra na menopausa, temos que pensar em sua qualidade de vida. Ela deve ter uma alimentação regrada, e a atividade física é extremamente importante. Nós temos trabalhos atuais que mostram que a atividade física, como padrão, diminui a incidência do câncer de mama, assim como a alimentação saudável. A grande questão hoje é a hormonal. Nós sabemos que a terapia hormonal na paciente que não tem o útero, que é feito somente com estrogênio, não causa absolutamente nenhum aumento do câncer de mama. Já a paciente que tem o útero, e faz uso do estrogênio com a progesterona, alguns trabalhos mostram uma elevação do câncer de mama, principalmente após cinco anos de uso da terapia hormonal.”

Ele completa dizendo que “a contraindicação efetiva de terapia hormonal, que é a grande duvida das mulheres, baseada no câncer de mama, é se a paciente teve câncer de mama, nesse caso não pode. E tem a contraindicação relativa, onde é preciso pesar o risco/benefício, é quando teve o câncer de mama em parentes de primeiro grau, que seria o caso de mãe e irmãs. Fora isso, pode-se entrar com a terapia hormonal, independente de outros critérios, mas sempre fazendo um acompanhamento rigoroso, não só com o próprio exame de autopalpação, mas, principalmente, com o exame rotineiro com o seu colega ginecologista/mastologista.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *